3 de abril de 2012

“Como cagar em cima de humanos em 12 lições”


Manual distribuído no curso de Direito da UFPR  ensina a mulheres “obrigação de dar”
O “manual de sobrevivência do calouro” entitulado “Como cagar em cima de humanos em 12 lições” escrito e distribuído por estudantes que fazem parte do PDU (Partido Democrático Universitário) aos calouros de Direito da Universidade Federal do Paraná (UFPR) causou reações e polêmicas ao ensinar a mulheres “obrigação de dar”.
O manual em vários trechos apresenta a mulher na condição de objeto sexual, condicionada às vontades dos homens, com a obrigação de servi-los. E de maneira implícita sugere a prática do estupro.

“A garota foi com você ao quarto, prometendo mundos e fundos (principalmente fundos), mas o máximo que você conseguiu foi um beijo: Código Civil, art.233- obrigação de dar: 'A obrigação de dar coisa certa abrange os acessórios dela embora não mencionados (...)'”.
 “Ela prometeu e não cumpriu. Disse 'vamos com calma': art. 252,§ 1º Código Civil: 'Não pode o devedor obrigar o credor a receber parte em uma prestação e parte em outra'. Ela vai ter que dar tudo de uma vez!" (p.7)   

O fato gerou debates na comunidade acadêmica e estudantes de ambos os sexos manifestaram repúdio ao conteúdo da cartilha, assim como organizações feministas e representações estudantis. O Setor de Ciências Jurídicas da Universidade se manifestou, na quinta-feira (29), afirmando que “repudia qualquer forma de manifestação com conteúdo discriminatório ou preconceituoso”. Mas a Universidade não cogita investigar o caso, nem a aplicação de alguma medida punitiva aos estudantes que escreveram e divulgaram o manual.
A UFPR faz uma campanha pelo trote humanitário, sem humilhações e violência, mas continua permitindo as formas de violência que se manifestam através do machismo. O machismo é naturalizado nos trotes e a opressão passa a ser a diversão dos veteranos. É tradicional nos cursos das Engenharias as calouras serem “leiloadas”, quando não, são coagidas a participar dos concursos “Garota da camiseta molhada”.
Em resposta às críticas, os estudantes que fazem parte do PDU que assinam o material preconceituoso afirmam que O Manual de Sobrevivência do Calouronão passa de uma “piada” e que pretendiam mostrar aos estudantes queTambém há espaço para o bom-humor e, principalmente, para o exercício de uma política séria, que não seja escrava de um ideal externo, mas que seja produzida pelos estudantes e para os estudantes".
Muio além de uma brincadeira de mau gosto circunstancial ou mais um incidente envolvendo o machismo na universidade, é fato de que o manual foi produzido por estudantes pertencentes a um grupo que se organiza há mais de cinquenta anos na Universidade, no curso de Direito. O que o PDU expressa neste manual não é muito diferente da ideologia reacionária que defendem cotidianamente e historicamente. Embora, recentemente, se apresentem como desprovidos de ideologias, na tentativa de se desfazerem do rótulo de direita que os acompanha por décadas.
Se, por um lado, a preocupação de muitos estudantes e professores é com o tipo de profissionais que serão estes estudantes que elaboraram o manual, por outro, a preocupação maior é saber que muitos se formaram durante décadas compartilhando estas mesmas posições conservadoras e preconceituosas. Em debate pela disputa do Centro Acadêmico Hugo Simas (CAHS), em 2010, a representante do PDU afirmou que “A gente está aqui para criar líderes, não para ser liderado por alguma ideologia externa...”
O machismo na sociedade é uma ideologia que atribui às mulheres a condição natural de submissão. Uma de suas formas de manifestação são as piadas. Uma de suas consequências é a desmoralização das mulheres, o que as mantém na condição de submissão e de não-organização. Felizmente, na UFPR as mulheres se organizaram para dar uma resposta ao machismo repudiando o manual do PDU!
O “Manual de Sobrevivência do Calouro não é uma piada e reproduz fortemente a ideologia machista. Seu conteúdo é discriminatório e preconceituoso e pode incitar preconceitos homofóbicos ou raciais ao inferiorizar seres humanos, a começar pelo título de sua capa “Como cagar em cima de humanos”.

É preciso que a Universidade repudie o conteúdo do manual, investigue o ocorrido e tome as medidas necessárias!

ATO CONTRA O MACHISMO NA UNIVERSIDADE:
Dia 04 de abril, quarta-feira. 
Concentração às 11h30, na Praça Santos Andrade.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui a sua opinião!

Marcadores